Clone mal feito

por Alexandre Fugita 11:38

O clone volta para casa

Ontem fui assistir, na sorte, algum filme que encaixasse no meu horário maluco. Achei um japonês com cara de ficção científica que passou às 22h no Cine Bombril chamado “O Clone volta pra casa” (Kuron wa Kokyo-Wo Mezasu, Japão, 2008, 110 minutos). Pra quem gosta de ficção científica como eu, o argumento do filme é interessante. Mas a fita não segura a onda.

Ficções científicas são interessantes para abrir discussões de tabus a tecnologias novas. Desde a ovelha Dolly, a clonagem é uma delas e já foi retratada em outros filmes como o Sexto Dia.

No filme, um astronauta morre em missão espacial e é “ressucitado” na forma de clone. Questões éticas surgem mas não são aprofundadas. Como estamos em uma mostra de cinema, coisas estranhas podem acontecer na tela. E acontecem. O clone revive algumas das situações de sua infância que o marcaram e acaba se surpreendendo com o que vê.

Talvez a barreira tenha sido a língua já que preferi acompanhar as legendas em inglês do que a em português. Como havia dito antes, faço confusão quando um filme tem mais de uma legenda. Mas, na verdade, isso nunca foi impedimento em todos os filmes da Mostra que já assisti.

A impressão geral – encontrei a Bibi do Cinematógrafo  na sessão – é que o filme é chato. Sim, concordo, fiquei com sono com a narrativa lenta e não instigante para um tema muito interessante.

O filme faz parte da chamada “carta branca do Wim Wenders“, ou seja, filmes que o diretor pode escolher para passar na Mostra. Gosto do diretor alemão, mas não concordo com essa escolha. Talvez a idéia toda fosse discutir as implicações éticas da clonagem de humanos. Não conseguiu.


2 comentários

  1. Jair Santana disse:

    Concordo
    Fui na mesma sessão no Cine Bombril.
    O filme tem ótima premissa…mas não acontece. Mesmo quando tende a se tornar um drama, em vez de ficção científica, fica somente na vontade.
    Talvez falta de roteiro, mas o que ficou foi, “O CLONE VOLTA PRA CASA” como você falou, é acima de tudo, um filme “CHATO”

  2. Polyana disse:

    Concordo!
    A premissa é, realmente, muito interessante. Os primeiros 30 minutos do filme são ótimos…No entanto, o filme vai se perdendo e…já era! Uma pena.

Deixe um comentário